No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch.
Pristina.org // Arte // 30 Days of Glitch

30 Days of Glitch

  • Arte

No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch.

Em 30 Days of Glitch, eu criei, pelo menos, uma imagem por dia usando as técnicas que aprendi. Normalmente, eu criava mais do que uma imagem e tentava sequenciar com outras e criando assim alguns dos estranhos gifs que você pode ver logo abaixo.

No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch.No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch. No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch. No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch.

Imagino que muita gente não deve ter idéia do que seja glitch e pode estar pensando por que que fui gastar meu tempo aprendendo essa técnica. Então, vamos ver se eu consigo explicar alguma coisa para vocês. Glitch é o termo usado para indicar que houve uma falha em um sistema. Quando isso acontece, esse sistema acaba apresentando algumas disfunções especiais e é esse o meu objetivo. Com 30 Days of Glitch, eu só queria descobrir a melhor forma visual de causar esse erro no sistema.

O Glitch que estou tentando aprender é voltado para tentar aprender como criar esse glitch em imagens perfeitas. A ideia é aprender a corromper imagens para criar outras através de uma falha no código da mesma. Agora, por que isso? Cada um tem interesse em alguma coisa e esse é o meu no momento.

O Glitch que estou tentando aprender é voltado para tentar aprender como criar esse glitch em imagens perfeitas. A ideia é aprender a corromper imagens para criar outras através de uma falha no código da mesma. Agora, por que isso? Cada um tem interesse em alguma coisa e esse é o meu no momento.No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch. No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch. No início de novembro de 2013, participei de um workshop de glitch e data mosh aqui em Berlin e acabei aprendendo algumas técnicas que desconhecia. Já venho tentando minha sorte com glitch tem um tempo mas tudo que eu descobri foi através de pesquisas online e sabia que poderia ser melhor do que aquilo. Saindo do workshop, resolvi levar as técnicas que aprendi até meu limite e foi assim que resolvi começar com o 30 Days of Glitch.

Resolvi focar o trabalho em apenas alguns softwares e fui explorando o que poderia ser feito com uma mistura de hex fiend, audacity, extra file e um pouco de gimp para salvar aquelas imagens que não tinham salvação. Foi durante esse mês que criei alguns dos meus projetos mais interessantes dos últimos anos. Neles, eu misturei design gráfico e posters com as imagens em movimento do glitch. Foi assim que criei os posters para o Dillinger Escape Plan, Nadja e Shining.

Dá para ver mais desse projeto no Flickr e no Imgur. Esse projeto apareceu primeiramente no 30 dias de Glitch depois.

30 Days of Glitch no Behance do Felipe Tofani

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter, acompanhar nosso tumblr ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.