Pristina.org - Everything Design since 2005

Land in Sonne: Christina Fenzl fotografa a antiga Berlim Oriental FotografiaFelipe Tofani on 27/11/2019

Documentando a juventude da Berlim Oriental
Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

A fotógrafa Christina Fenzl nasceu em Munique, no estado da Bavária, e teve parte da sua juventude repleta de conversas sobre a reunificação da Alemanha e sobre as pressões políticas da Guerra Fria. E seu interesse no assunto existe na fotografia há anos já que seu trabalho final na escola de fotografia foi sobre a última parada de Primeiro de Maio da Alemanha Oriental. Com a queda do Muro de Berlim, em Novembro de 1989, e com a reunificação da Alemanha que aconteceu no ano seguinte, Christina Fenzl voltou para seu país natal e resolveu explorar o mundo de retratos de uma forma mais pessoal.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

O foco na antiga Berlim Oriental veio da rápidas mudanças que ela observou acontecendo ao seu redor, nos bairros de Mitte e Prenzlauer Berg. Com a gentrificação e modernização desses bairros, Christina Fenzl virou seu foco fotográfico para bairros mais distantes do centro da cidade. Bairros esses que ainda estão repletos de elementos clássicos da arquitetura comunista.

Essa geração que foi retratada por Christina Fenzl é uma juventude que nunca viveu separado pelo Muro de Berlim. Porém, eles ainda são influenciados pelos seus pais, seus familiares, que viveram nessa época e, ainda mais, pela localização.

Como moro em Berlim há tempos, gosto de observar como as pessoas encontram diferentes tópicos fotográficos pela cidade. E eu tenho um interesse grande nesse lado da Alemanha Oriental por ser um país que não existe mais. Um país que foi apagado e cuja cultura local acabou sendo adaptada a outro. Algo que não aconteceu com a Alemanha Ocidental.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Para saber mais sobre o trabalho de Christina Fenzl, você precisa dar uma olhada no portfólio dela. Para saber ainda mais sobre o seu livro, Land in Sonne, você só precisa clicar no link abaixo.

Para saber mais sobre o trabalho de Christina Fenzl, você precisa dar uma olhada no portfólio dela. Para saber ainda mais sobre o seu livro, Land in Sonne, você só precisa clicar no link abaixo.

Para saber mais sobre o trabalho de Christina Fenzl, você precisa dar uma olhada no portfólio dela. Para saber ainda mais sobre o seu livro, Land in Sonne, você só precisa clicar no link abaixo.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Em seu novo livro, Land in Sonne, Christina Fenzl foi para as ruas da antiga Berlim oriental para documentar a população jovem dessa região da capital alemã. Seu objetivo foi o de capturar a geração que cresceu com a reunificação da Alemanha em áreas mais periféricas da cidade, em bairros como Marzahn, Hellersdorf, Lichtenberg e Hohenschönhausen.

Para saber mais sobre o trabalho de Christina Fenzl, você precisa dar uma olhada no portfólio dela. Para saber ainda mais sobre o seu livro, Land in Sonne, você só precisa clicar no link abaixo.

Em Land in Sonne, Christina Fenzl fotografa a antiga Berlim Oriental

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Comentários

Powered by Facebook Comments

Tagged: , , , , , , , , , , ,