Pristina.org // Street Art // Mais sobre o Ataque a Choque Cultural

Mais sobre o Ataque a Choque Cultural

Cerca de 20 obras expostas na Galeria Choque Cultural, em Pinheiros, foram danificadas pela ação de pichadores que invadiram o local em protesto no último sábado, dia 6.
Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, o movimento foi organizado por Rafael Guedes Augustaitiz, conhecido como Rafael Pixobomb. O artista foi expulso em julho deste ano do Centro Universitário Belas Artes por ter organizado uma ação semelhante no prédio da faculdade.

Aproximadamente 30 pessoas, todas integrantes do movimento “PiXação: Arte Ataque Protesto“, invadiram a galeria e picharam as paredes, quadros e objetos em exposição. Segundo o grupo, o lugar não representa a cultura urbana, e seus criadores não fazem parte do movimento de rua.

A Choque Cultural se auto-define como “uma galeria de arte contemporânea que dialoga com o underground. Valoriza as linguagens cotidianas usadas pelos mais jovens e propõe-se a apresentá-las de modo verdadeiro e original.”

Entre as obras que foram danificadas estão quadros do artista pop inglês Gerald Laing (veja galeria de imagens) e do brasileiro Daniel Melim.

Pelo que fui informado,o protesto foi legitimo mesmo. Estou aguardando informações da Galeria sobre o que ocorreu de verdade.

Paulistânia: Pichadores invadem galeria Choque Cultural e danificam obras expostas

1 thought on “Mais sobre o Ataque a Choque Cultural”

  1. Quem caiu no meu conceito foi o Pristina…Vc. geraram uma debate totalmente sem fundamento, precipitado, detonando a imagem de uma das melhores galerias de arte de rua de Sampa.

    É uma pena um blog que eu tinha grande respeito dar essa bola fora dessas…triste.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.