Skip to content
Nesse romance de J.G. Ballard, ele pinta um quadro sombrio e distópico. A presença de uma estrutura arquitetônica que cria uma atmosfera de tensão social é uma visão interessante e acabou levando a criação de uma série de imagens que representam uma distopia urbana agressiva. Uma visão urbanista mistificadora cuja referência visual vem com grande influência do brutalismo.
Pristina.org // Arquitetura // Uma cidade futura do passado por Clemens Gritl

Uma cidade futura do passado por Clemens Gritl

Em 1975, J.G. Ballard escreveu um livro onde o autor descreve uma nova realidade social onde todos vivem em arranha-céus sem emoção e imune as pressões da vida. Foi a pensar nisso que o designer Clemens Gritl resolveu criar uma série de imagens que recebeu o nome de A Future City From The Past.

Nesse romance de J.G. Ballard, ele pinta um quadro sombrio e distópico. A presença de uma estrutura arquitetônica que cria uma atmosfera de tensão social é uma visão interessante e acabou levando a criação de uma série de imagens que representam uma distopia urbana agressiva. Uma visão urbanista mistificadora cuja referência visual vem com grande influência do brutalismo.

Em 1975, J.G. Ballard escreveu um livro onde o autor descreve uma nova realidade social onde todos vivem em arranha-céus sem emoção e imune as pressões da vida. Foi a pensar nisso que o designer Clemens Gritl resolveu criar uma série de imagens que recebeu o nome de A Future City From The Past.

Em 1975, J.G. Ballard escreveu um livro onde o autor descreve uma nova realidade social onde todos vivem em arranha-céus sem emoção e imune as pressões da vida. Foi a pensar nisso que o designer Clemens Gritl resolveu criar uma série de imagens que recebeu o nome de A Future City From The Past.

Em 1975, J.G. Ballard escreveu um livro onde o autor descreve uma nova realidade social onde todos vivem em arranha-céus sem emoção e imune as pressões da vida. Foi a pensar nisso que o designer Clemens Gritl resolveu criar uma série de imagens que recebeu o nome de A Future City From The Past.

Na série de imagens criadas por Clemens Gritl, todos os edifícios e estruturas são homogêneos. Não existe uma diferenciação de estilos arquitetônicos, tudo aqui foi reduzido a estrutura geométricas simples. E a arquitetura é formada pela repetição dessas formas.

Em A Future City From The Past, a emoção reside em explorar as consequências dessa arquitetura, desse urbanismo extremo. Como seria viver em uma metrópole pré-fabricada e futurista? Como que essa cidade envelheceria? Qual seria a atmosfera de uma paisagem interminável onde tudo foi feito pela mão do homem?

Visualmente falando, as representações arquitetônicas aqui estão alinhadas com a fotografia de arquitetura dos anos sessenta, que documentava um otimismo singular da época. A escolha de apresentação em preto e branco é algo voltado para ilustrar de forma mais precisa as formas do brutalismo.

Em 1975, J.G. Ballard escreveu um livro onde o autor descreve uma nova realidade social onde todos vivem em arranha-céus sem emoção e imune as pressões da vida. Foi a pensar nisso que o designer Clemens Gritl resolveu criar uma série de imagens que recebeu o nome de A Future City From The Past.

Nesse romance de J.G. Ballard, ele pinta um quadro sombrio e distópico. A presença de uma estrutura arquitetônica que cria uma atmosfera de tensão social é uma visão interessante e acabou levando a criação de uma série de imagens que representam uma distopia urbana agressiva. Uma visão urbanista mistificadora cuja referência visual vem com grande influência do brutalismo.

Nesse romance de J.G. Ballard, ele pinta um quadro sombrio e distópico. A presença de uma estrutura arquitetônica que cria uma atmosfera de tensão social é uma visão interessante e acabou levando a criação de uma série de imagens que representam uma distopia urbana agressiva. Uma visão urbanista mistificadora cuja referência visual vem com grande influência do brutalismo.

Nesse romance de J.G. Ballard, ele pinta um quadro sombrio e distópico. A presença de uma estrutura arquitetônica que cria uma atmosfera de tensão social é uma visão interessante e acabou levando a criação de uma série de imagens que representam uma distopia urbana agressiva. Uma visão urbanista mistificadora cuja referência visual vem com grande influência do brutalismo.

Clemens Gritl estudou arquitetura em Munique e Roma e vem trabalhando com modelos em 3D enquanto reflete sobre as utopias urbanas do século XX. Foi durante um desses momentos de reflexão que esse projeto acabou surgindo. Uma pesquisa urbana sobre a grande escala de alguns prédios de apartamentos gerou um fascínio por tais estruturas.

Dá para ver mais detalhes desse projeto clicando no link abaixo. E se você gostou das imagens aqui, você pode comprar posters direto na loja online que Clemens Gritl criou pra esse projeto.

Uma cidade futura do passado por Clemens Gritl

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.