Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.
Pristina.org // Arte // Os Crânios Gigantes que Ron Mueck deixou pela Trienal da Galeria Nacional de Victoria, na Austrália

Os Crânios Gigantes que Ron Mueck deixou pela Trienal da Galeria Nacional de Victoria, na Austrália

  • Arte

Começando em dezembro de 2017, a Trienal da Galeria Nacional de Victoria vai abrir suas portas para mais de 100 criativos de 32 diferentes países. Entre esses artistas, arquitetos, designers, animadores, o destaque parece ser para Ron Mueck e seu trabalho de escultura hiper realista. Lá ele está apresentando seu maior trabalho, chamado de Mass, essa instalação vem com 100 crânios humanos gigantes que se acumulam no chão da galeria e parecem mudar um pouco da arquitetura do local.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Em Mass, Ron Mueck celebra a forma com a qual toda humanidade pode ser conectada e acaba homenageando um símbolo que é essencial em todas as culturas e religiões.
Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Mass é um estudo sobre a nossa própria mortalidade e parece ser uma ótima extensão ao trabalho hiper realista de Ron Mueck. Nessa instalação de tamanho gigante, a estrutura biológica dos crânios parece remover qualquer traço de humanidade do local. Para mim, é como andar pelas Catacumbas de Paris onde as paredes são feitas de crânios humanos reais. Acredito que esse contato extremo com nossos próprios ossos acabam causando uma sensação de impermanência e de eternidade.

Ron Mueck é um escultor australiano que vem trabalhando na Grã Bretanha há alguns anos. Ele começou sua carreira trabalhando em programas de televisão na Austrália, até que mudou para os Estados Unidos para trabalhar com cinema e publicidade. Seu trabalho de escultura começou a chamar a atenção do mundo em 1997 quando uma escultura de seu recém falecido pai foi incluída em uma exposição da Academia Real de Artes de Londres.

Mass é apenas uma das muitas obras e instalações que podem ser vistas na Trienal da Galeria Nacional de Victoria que fica aberta até 18 de Abril de 2018 e tem entrada grátis.

Os Crânios Gigantes que Ron Mueck deixou pela Trienal da Galeria Nacional de Victoria, na Australia

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter, acompanhar nosso tumblr ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.