Skip to content
Existe uma grande possibilidade de você já ter visto o trabalho de design de Franco Grignani sem saber quem era o autor desses trabalhos. Isso aconteceu comigo até algumas semanas atrás quando resolvi pesquisar um pouco mais sobre um poster que encontrei em um livro de design.
Pristina.org // Design // O Design Hipnótico de Franco Grignani

O Design Hipnótico de Franco Grignani

Existe uma grande possibilidade de você já ter visto o trabalho de design de Franco Grignani sem saber quem era o autor desses trabalhos. Isso aconteceu comigo até algumas semanas atrás quando resolvi pesquisar um pouco mais sobre um poster que encontrei em um livro de design.

Foi assim que descobri que Franco Grignani nasceu em 1908, na cidade de Pieve Porto Morone, uma pequena cidade perto de Milão. Depois de seus anos escolares, ele estudou matemática brevemente, até se mudar para Torino, onde foi estudar arquitetura e acabou se juntando a segunda onda de Futurismo italiano.

Para mim, é interessante observar o trabalho criativo de Franco Grignani e tentar categorizá-lo em algum movimento artístico. E eu considero que isso é quase impossível de fazer. Suas imagens têm muito de Op Art, mas não se limita apenas a isso. Acredito que seu trabalho acaba ficando no meio do que seria a arquitetura, o design gráfico e a arte. Por isso mesmo, seu trabalho acaba sendo tão atemporal.

Para mim, é interessante observar o trabalho criativo de Franco Grignani e tentar categorizá-lo em algum movimento artístico. E eu considero que isso é quase impossível de fazer. Suas imagens têm muito de Op Art, mas não se limita apenas a isso. Acredito que seu trabalho acaba ficando no meio do que seria a arquitetura, o design gráfico e a arte. Por isso mesmo, seu trabalho acaba sendo tão atemporal.

Como um artista futurista, suas experimentações figurativas eram dedicadas a mecânica e a beleza da velocidade. Mas ele só se focou nisso por alguns anos e, como todo bom futurista, deixou esses trabalhos para o passado e seu foco foi para a direção de tópicos mais abstratos. Principalmente através da fotografia.

A arquitetura levou Franco Grignani de um lado poeta para um foco mais metódico na sua arte. E isso parece ser bem claro para mim nas imagens que selecionei dele para esse artigo. Os designs que ele produziu tem um aspecto quase cinético já que eles parecem se mover de alguma forma. Isso pode ser uma tradução visual da obsessão do designer pela matemática e pela influência da tecnologia na vida humana.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Franco Grignani esteve no exército italiano, onde ele treinou soldados a observar e reconhecer aeronaves vindo na sua direção. A forma com a qual ele desenvolveu para identificar objetos se movendo a distância pode também ter ajudado a criar um dos elementos básicos do seu trabalho: a interdependência entre a mente e o olho do observador.

Depois da guerra, Franco Grignani abandonou a arquitetura e foi trabalhar como diretor de arte em Milão já que a cidade havia se tornado um grande centro do design na Itália. Foi nessa época que o designer começou a trabalhar com a Alfieri & Lacroix, uma empresa de impressão gráfica com a qual ele trabalhou por mais de 30 anos de parceria criativa. Seu trabalho lá era premiado com total liberdade criativa e, assim ele acabou definindo a voz corporativa da empresa.

Mas o trabalho mais reconhecido do designer é o logo que ele criou para a Woolmark que foi um trabalho disputado por outros designers na época que ele foi a público. Foi apenas em 1975 que Franco Grignani assumiu a criação desse logo que acabou sendo premiado pela revista Creative Review, em 2001, como o melhor logo de todos os tempos. Uma pena que isso aconteceu 12 anos após a morte do designer.

Mas o trabalho mais reconhecido do designer é o logo que ele criou para a Woolmark que foi um trabalho disputado por outros designers na época que ele foi a público. Foi apenas em 1975 que Franco Grignani assumiu a criação desse logo que acabou sendo premiado pela revista Creative Review, em 2001, como o melhor logo de todos os tempos. Uma pena que isso aconteceu 12 anos após a morte do designer.

Para mim, é interessante observar o trabalho criativo de Franco Grignani e tentar categorizá-lo em algum movimento artístico. E eu considero que isso é quase impossível de fazer. Suas imagens têm muito de Op Art, mas não se limita apenas a isso. Acredito que seu trabalho acaba ficando no meio do que seria a arquitetura, o design gráfico e a arte. Por isso mesmo, seu trabalho acaba sendo tão atemporal.

Para mim, é interessante observar o trabalho criativo de Franco Grignani e tentar categorizá-lo em algum movimento artístico. E eu considero que isso é quase impossível de fazer. Suas imagens têm muito de Op Art, mas não se limita apenas a isso. Acredito que seu trabalho acaba ficando no meio do que seria a arquitetura, o design gráfico e a arte. Por isso mesmo, seu trabalho acaba sendo tão atemporal.

Existe uma grande possibilidade de você já ter visto o trabalho de design de Franco Grignani sem saber quem era o autor desses trabalhos. Isso aconteceu comigo até algumas semanas atrás quando resolvi pesquisar um pouco mais sobre um poster que encontrei em um livro de design.

Existe uma grande possibilidade de você já ter visto o trabalho de design de Franco Grignani sem saber quem era o autor desses trabalhos. Isso aconteceu comigo até algumas semanas atrás quando resolvi pesquisar um pouco mais sobre um poster que encontrei em um livro de design.

Existe uma grande possibilidade de você já ter visto o trabalho de design de Franco Grignani sem saber quem era o autor desses trabalhos. Isso aconteceu comigo até algumas semanas atrás quando resolvi pesquisar um pouco mais sobre um poster que encontrei em um livro de design.

Existe uma grande possibilidade de você já ter visto o trabalho de design de Franco Grignani sem saber quem era o autor desses trabalhos. Isso aconteceu comigo até algumas semanas atrás quando resolvi pesquisar um pouco mais sobre um poster que encontrei em um livro de design.

Dá para saber mais sobre o trabalho de Franco Grignani clicando no link abaixo. Além disso, a Eye on Design da AIGA tem um ótimo artigo sobre seu trabalho. A Typeroom também.

O Design Hipnótico de Franco Grignani

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.