Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.
Pristina.org // Fotografia // The Last Stand na fotografia de Marc Wilson

The Last Stand na fotografia de Marc Wilson

Marc Wilson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Essas estruturas de concreto documentadas na fotografia de Marc Wilson são um constante lembrete das consequências da Segunda Guerra Mundial e faziam parte de diferentes formas de defesa na época. Hoje em dia, essas barreiras, bunkers e outras ruínas militares não passam de relíquias arqueológicas em decomposição.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Conforme o fotógrafo, The Last Stand procura a reflexão histórica e como os conflitos militares do passado e suas memórias passam a fazer parte da nossa paisagem do dia a dia. Apesar de que muitos desses objetos de concreto não estarem mais a vista como estavam anteriormente, já que muitos estão parcialmente submersos.

As ruínas militares que Marc Wilson fotografou para The Last Stand são divididas em centros de comando, postos de observação, bunkers, barreiras de defesa; sendo encontradas na costa das Ilhas Britânicas e no Norte da Europa. Principalmente nas ilhas do Canal, no norte e no oeste da França, na Dinamarca, Bélgica e também na Noruega.

É interessante observar as fotos que fazem parte de The Last Stand e perceber a qualidade transitória desses objetos de concreto sólido. Essas relíquias de um passado nem tão distante assim mudaram de posição com o passar dos anos e agora estão semi-enterrados em praias arenosas. Outras vezes, elas parecem quase emergir de colinas como se elas estivessem escondidas entre as plantas e as árvores. Tudo isso é deixado ainda mais visualmente interessante através da luz difusa que Marc Wilson usou como parte da direção de arte aqui.

Além desses fatores acima, gostei bastante das imagens aqui porque me lembram um pouco o que eu faço como hobby aqui nos arredores de Berlim.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

Marc WIlson é um fotógrafo britânico que viajou por mais de 30 mil quilômetros para visitar 143 localidades diferentes. Tudo isso durou cerda de 4 anos e teve a finalidade de documentar objetos de concreto que acabaram se tornando parte de um livro chamado The Last Stand.

The Last Stand foi fotografado entre 2010 e 2014 por Marc Wilson. Seu objetivo foi o de refletir as histórias do conflito militar e como a paisagem guarda as memórias desses eventos. A série, é composta de quase 90 imagens que documentam os vestígios da Segunda Guerra Mundial no norte da Europa e nas Ilhas Britânicas.

Para saber mais sobre o projeto, você precisa clicar no link abaixo. Se ficou curioso sobre tudo, você ainda pode comprar uma cópia do livro The Last Stand para você.

The Last Stand na fotografia de Marc Wilson

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.