Skip to content
As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.
Pristina.org // Ilustração // Dylan Andrews: Ilustrações a Lápis, Carvão e Aquarelas

Dylan Andrews: Ilustrações a Lápis, Carvão e Aquarelas

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais. No lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

Dylan Andrews estudou desenho e arte na University of the West of England e seu trabalho é focado em estudos monocromáticos do corpo humano e retratos. Seu trabalho costuma ser feito em um formato grande e usando apenas carvão, lápis, aquarelas e elásticos.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

Andrews’ aim is to project and emphasise emotion without relying on deliberate facial expressions, instead placing an emphasis on manipulating light and shadow in his images in order to construct dramatic and intense atmospheres. Each portrait contains ambiguous patterns forming over the subjects face, created by an object unknown to the viewer. Each subject has their own unique mask of shadow, reflecting the varying factors that can contort and obstruct our identities. The intricacy and ambiguity of the patterns encourage the viewer to get lost in the subjects.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

As ilustrações de Dylan Andrews experimentam com a forma de mostrar emoções sem precisar usar expressões faciais, no lugar disso, ele usa uma ênfase na manipulação de luzes e sombras para criar construções dramáticas e atmosferas intensas. Cada um dos retratos criados pelo artista com essa finalidade, acabam mostrando padrões sobrepostos, como se a pessoa que estivesse observando a obra estivesse no lugar de um objeto que está sendo refletido na ilustração. Cada retrato vem com uma máscara de sombras diferente e que, pode ou não, estar construindo ou obstruindo a identidade do retrato.

Se você gostou do trabalho de ilustração de Dylan Andrews, acompanhe o trabalho dele no instagram e no facebook. E, claro, no portfolio dele.

Dylan Andrews: Ilustracoes a Lápis, Carvão e Aquarelas

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.