Skip to content
Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.
Pristina.org // Ilustração // Kim Dae-Hyun

Kim Dae-Hyun

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Se você gosta de espaços negativos tanto quanto eu, tenho certeza de que vai adorar o portfólio de ilustração desse artista coreano.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

Parece que, para Kim Dae-Hyun, a única cor que importa é o preto e é assim que ele cria suas ilustrações. Mas não pense que a falta de cor vai transformar o trabalho monocromático dele em algo tedioso. Muito pelo contrário, as ilustrações que encontrei no seu portfólio tem muita história para contar.

I was born in Seoul in 1980, now live and work in Seoul. I studied oriental painting which is a study on the traditional East Asian painting. I’ve been drawing Moonassi series since university. The series is my life-time project. There is no specific background story or a theory about the drawing. Each drawing is created based on my daily thoughts and feelings. I draw to meditate on myself and others, and to be able to see the whole story of the series in the end.

Kim Dae-Hyun

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.