As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.
Pristina.org // Design Gráfico // Chove – um livro de Henrique Martins

Chove – um livro de Henrique Martins

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

A chuva é o conteúdo, o tema e a estrutura que define cada uma das imagens que você pode ver abaixo. O vento, a luz, o toque, o som, a memória; essas são as referências usadas para construir as formas e os sinais gráficos que emulam algo próximo de partituras de chuva. Tudo isso com a intenção de explorar a associação de imagens com o que sentimos. Chove é sobre isso. É sobre chuva mas é algo muito maior.

Tão grande que acabou virando um livro em dois volumes. O primeiro, chamado de Narrativa, é essencialmente gráfico e conta histórias de chuva com uma linguagem sintética. Aqui os elementos do código visual são apresentados aos poucos e vão sendo arranjados, inicialmente, em composições simples. Se tornando mais complexas com o passar na narrativa.

Chove de Henrique Martins

O segundo volume tem o nome de Processos e é feito de páginas cinzas que representam o desenvolvimento conceitual do trabalho. Ali você pode ver estudos, anotações, referências, conceitos visuais e métodos de trabalho empregados durante todas as etapas do projeto. Combinados, os dois volumes têm cadernos com costuras expostas que permitem a abertura completa de suas páginas, possibilitando a melhor apresentação das imagens.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

Gosto de pensar no meu trabalho como a construção visual de ideias, seja através de uma imagem, uma marca, um filme, um site, um objeto, um lugar, um livro. Cada projeto dá acesso a um universo potencialmente novo de informações. A leitura e análise rigorosa destas informações permite a construção de uma base conceitual sólida para a produção de respostas, de soluções.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

As imagens que você pode ver nesse artigo são do livro de Henrique Martins chamado Chove. Livro esse que foi desenvolvido com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba –, com incentivo da Caixa Econômica Federal. Publicado no início de outubro de 2015, como o título diz, esse é um livro sobre a chuva. Um livro que mostra como superamos dias chuvosos, como eles despertam nossos sentidos e como podemos usar da chuva como narrativa visual.

Henrique Martins tem atuado na concepção e desenvolvimento de projetos na área cultural, buscando criar situações limítrofes, permeadas pela racionalidade e objetividade do design, e pela expressividade – algo de lírico, algo de lúdico –, muito própria das artes visuais. E você pode ver muito disso direto no seu portfólio.

Se você estiver em Curitiba de 08 de outubro de 2015 a 21 de fevereiro de 2016, dê uma passada no Museu da Gravura, no Solar do Barão. Lá você vai poder ver a exposição chove, de Henrique Martins, que contam um pouco da história do livro e da chuva.

Chove – um livro de Henrique Martins

Se você gostou do que viu aqui, você deveria seguir o blog no twitter ou seguir a revista digital do Pristina.org no Flipboard. Além disso, ainda temos nossa newsletter quase semanal.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.